pesquisa actualidades

Três fundos americanos disputam compra de carteira de hotéis de 1.400 milhões da ECS

03 Maio 2021, Jornal de Negócios

Naquele que será o maior negócio imobiliário do ano e um dos maiores de sempre em Portugal, três fundos norte-americanos vão apresentar propostas vinculativas para a compra da carteira de 10 hotéis da ECS Capital, avaliada em 1.400 milhões de euros.

A ECS Capital selecionou os fundos Davison Kempner, Oaktree e uma "joint-venture" da Cerberus e Bain Capital para a apresentação de propostas vinculativas para a compra do portefólio de 10 hotéis, avaliada em cerca de 1.400 milhões de euros, avança esta quinta-feira o site especializado em imobiliário PropertyEU.

Os três candidatos, escolhidos de um lote que, segundo fontes próximas incluía 10 interessados, terão até ao início de julho para submeter as ofertas. O ProperyEU avança que a estimativa é que a carteira de ativos seja vendida por "aproximadamente mil milhões de euros".

O portefólio, designado "Project Crow", inclui dois fundos de recuperação com ativos como o hotel de cinco estrelas Palácio do Governador, em Lisboa, o Conrad Algarve, na Quinta do Lago, o As Cascatas Golf & Resort Spa, em Vilamoura, bem como outros hotéis da marca NAU.

O Jornal Económico tinha avançado que entre as entidades interessadas estavam os fundos internacionais Bain Capital, Brookfield, Blackstone, Cerberus, Fortress, Davidson Kempner Capital Management, H.I.G. Capital e Kildare Partners. Já o PropertyEU dava ainda como estando na corrida o Apollo.

Os dois fundos de recuperação têm vários bancos como detentores de unidades de participação, nomeadamente o Novo Banco, Caixa Geral de Depósitos, BCP, Santander e ainda a Oitante, veículo criado para ficar com os ativos do Banif que o Santander Totta não quis.

Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.